A sociedade patriarcal

por ajcmrl

A sociedade patriarcal impõe instâncias destrutivas sobre minha identidade
Urgências que me consomem por inteira
A sociedade patriarcal aplaude a minha fisionomia desorientada
O meu perfil de ingenuidade
Ela é sistematizada em séculos
E de modo algum desabaria com facilidade
Ela não gosta de mulheres significativas
Nem relevantes
Ela exige o cheiro da debilidade
E a garantia da fraqueza

A sociedade patriarcal impõe instâncias destrutivas sobre minha identidade
Urgências que me consomem por inteira
Não é cortês apresentar-me capaz
E é incômodo realizar qualquer coisa com rapidez
A sociedade patriarcal se entretém com a minha ignorância
E quando chamo às suas avaliações
Ela é a minha formadora
E eu sou tecida para ser sua novata apreciadora
O antagônico a inquieta
Fico atraente com a cara de estúpida
Com o enxergar remoto
E a autonomia distante

A sociedade patriarcal impõe instâncias destrutivas sobre minha identidade
Urgências que me consomem por inteira
Meus pêlos nascem para serem arrancados
E os meus seios hasteados
Ao contrário do meu desejo
Que precisa ser vedado

A sociedade patriarcal impõe instâncias destrutivas sobre minha identidade
Urgências que me consomem por inteira
Ela conclama minha ineficácia todos os dias
E fiscaliza o traje que uso
Ela me vira de bruços e me omite a existência
A sociedade patriarcal me doutrina desde a infância
E ilustra minhas preferências

A sociedade patriarcal pode soar como excêntrica
Mas é a mesma que edifica cada crença
A mesma que se encontra em emissoras
E revistas pra passar o tempo
A sociedade patriarcal impõe instâncias destrutivas sobre minha identidade
A mesma conquistada pelas minhas vizinhas

A sociedade patriarcal leva a sua filha ao jardim todos os dias
E ensina à sua prima que o vermelho só é bonito em margaridas
A sociedade patriarcal impõe instâncias destrutivas sobre minha identidade.

Anúncios